Pesquisa que busca sequenciar genoma do Mariri e da Chacrona divulga primeiros resultados

JoazeBlog1 Comentário

Um grupo de pesquisadores divulgou os primeiros resultados do projeto que busca sequenciar o genoma da Chacrona e do Mariri, os dois vegetais usados na preparação do chá Hoasca. Os dados estão no artigo intitulado The complete organellar genomes of the entheogenic plant Psychotria viridis (Rubiaceae), a main component of the ayahuasca brew, que foi publicado na revista científica Peer J. Neste artigo, os autores relatam o sequenciamento do genoma de dois componentes  da célula da Chacrona encontrados no seu interior, a mitocôndria e o cloroplasto. Trata-se de uma investigação pioneira sobre o conteúdo genômico da Chacrona, e conta com o apoio da União do Vegetal.

O projeto de pesquisa  é denominado “Unindo genômica, conhecimento tradicional botânica e neurociência através do sequenciamento do genoma parcial dos dois principais componentes do chá Ayahuasca  (Banisteriopsis caapi e Psychotria viridis)”. O mariri que está sendo usado nas análises foi coletado no núcleo Menino Galante, localizado em Mairiporã, na terceira região. Dentre as instituições de pesquisa envolvidas no projeto estão a UFRJ, a Unesp, a UFRR e a UEPB.

O objetivo do projeto é, pela primeira vez, obter um sequenciamento detalhado do genoma de ambas as espécies, o que, além de aumentar o conhecimento sobre suas propriedades, também pode abrir possibilidades para a produção de conhecimento aplicado a partir da flora brasileira.

Professor da UFRJ e líder do projeto Francisco Prosdocimi explica que, em trabalhos de genômica, os genes das organelas são os primeiros a serem montados. “Os nossos próximos passos envolvem a montagem do genoma nuclear, que é o mais importante da célula porque é onde estão os cromossomos e onde estão os genes que vão codificar as enzimas que produzem a DMT, na Chacrona, e os alcaloides, no Mariri. Esse trabalho já está em andamento”, afirma.

Simone Silva dos Santos Lopes, também coordenadora da pesquisa e professora da UFPB, explica que esse artigo é pioneiro. “Anteriormente não existiam quaisquer dados genéticos sobre a Chacrona, é a primeira publicação nesta área”, diz.

Alessandro Varani,  da Unesp, diz que  os primeiros resultados do sequenciamento do genoma da chacrona  trouxeram algumas surpresas. “Enquanto o cipó mariri tem um terço do tamanho do genoma humano, o genoma da chacrona possui uma vez e meia o número de genes existentes no genoma humano”, diz. Até então, as estimativas sobre o tamanho do genoma da chacrona que existiam na literatura científica giravam em torno de 2 gigabases (Gb), a unidade usada para estimar a dimensão de um DNA. Porém, o trabalho preliminar do grupo revelou um genoma com 4,48 Gb. “O  que nós constatamos no sequenciamento foi algo completamente diferente do que os outros estudos sobre a planta sugeriam”, diz.

Simone Silva ressalta que parte da importância do novo artigo está em ajudar a despertar o interesse por parte de mais estudiosos sobre o tema. “Esses dados irão permitir que outros trabalhos venham a ser realizados com o objetivo de conhecermos  a estrutura da biodiversidade destas plantas. E esse conhecimento vai contribuir para que os grupos que as cultivam  possam fazer um manejo melhor, com mais embasamento.” Ela conta que o sequenciamento genético do Mariri já está em andamento. “ Em breve teremos novas publicações em revistas científicas com esses dados”, diz.

Pablo Gonçalves é discípulo do Corpo Instrutivo do núcleo Menino Galante

 

1 Comentários em “Pesquisa que busca sequenciar genoma do Mariri e da Chacrona divulga primeiros resultados”

  1. Que boa notícia em ler o artigo que já a algum tempo vem sendo estudado e que venham as novas contribuições para a pesquisa científica dentro do Centro.
    Abraços fraternos
    Elson Farias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *